Número de artesãos regulamentados cresce 56%

Em um estado onde a produção artesanal configura como principal fonte de renda para mais de 85% dos trabalhadores registrados na atividade, ter a profissão regulamentada e reconhecida tem sido uma das conquistas mais positivas do setor. Desde 2015, quando o programa Alagoas Feita à Mão foi criado com a proposta de fortalecer e potencializar as ações ligadas ao artesanato, o número de emissão e renovação da carteira do artesão cresceu em média 56%, chegando a marca de 15 mil cadastros em Alagoas.

Além de garantir a regularização e fomento da atividade, o aumento na solicitação do documento chega associado a um trabalho intenso de mapeamento das diferentes regiões do Estado. Coordenado pela equipe da Gerência de Artesanato da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), as ações itinerantes têm colaborado para que novos profissionais sejam descobertos e possam emitir a carteira pela primeira vez, como é o caso da Ailma Jenário da Silva.

Integrante da nova geração de artesãos que aparece e já se consolida em Alagoas, a sertaneja de 23 anos, natural do município de Santana do Ipanema, foi a alagoana de número 15 mil registrada no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab) que, ao lado de outras 34 profissionais, dá vida ao grupo Mulheres Artesãs.

“Desde muito cedo, sempre gostei de criar, assistia canais de artesanato e como não tinha acesso aos materiais acabava fazendo minhas produções no improviso mesmo. Depois de muito treino e também por ser muito comunicativa, comecei a vender minhas peças primeiro para minha família, aos poucos fui conquistando clientes e hoje ela é minha principal fonte de renda. Tenho muito amor pelo que eu faço e de lá pra cá já são quase oito anos de trabalho, me orgulho muito de ajudar a manter viva a nossa cultura”, comemora Ailma.

Na prática, o documento, emitido gratuitamente pela Sedetur, assegura uma série de benefícios aos artesãos cadastrados. Uma vez registrados, além de ter sua atividade regulamentada, os profissionais também passam a ser isentos do ICMS na emissão de notas fiscais avulsas, ficam aptos para se inscrever em editais abertos pelo órgão para participação em feiras e eventos de todo o país e tem maior facilidade na aquisição de maquineta para vendas com cartão.

Alagoas Feita à Mão

Desenvolvido com a missão de promover a produção artesanal e contribuir para a geração de emprego e renda dos artistas locais, o programa Alagoas Feita à Mão se firma como impulsionador estratégico da atividade em todo o Estado. Apoiado na sua pluralidade de tipologias – desde a fibra, o filé, a cerâmica até os bordados e a madeira – e na profissionalização dos trabalhadores, o setor encontra espaço e visibilidade nos mais diferentes mercados, se fortalecendo como principal fonte de renda para maior parte dos artesãos no Estado.

“Estamos inseridos em um país onde mais de 8,5 milhões de pessoas trabalham com artesanato. Neste momento, alcançar a marca de 15 mil alagoanos registrados é uma conquista extremamente significativa, porque profissionaliza o setor e amplia as suas possibilidades de mercado e fonte de renda. Somos um estado marcado pela diversificação de públicos e da capacidade criativa dos nossos artistas e é nosso papel estimular e fortalecer o crescimento econômico e social desse segmento”, ressalta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

Ascom – 18/09/2019

(Visited 6 times, 1 visits today)